Pescar no barranco, assim como pescar embarcado, é divertido e relaxante, mas dependendo do pesqueiro e da quantidade de pescadores que ali estão a pescaria pode tornar-se um verdadeiro desastre, causando um efeito contrário no humor do pescador, ou seja, deixando-o estressado. Para que isso não aconteça é prudente que tenhamos um mínimo de educação e que sigamos dicas básicas. Aqui vão algumas:

PESCANDO ENTRE OUTROS PESCADORES

pesca

Ao nos posicionarmos num pesqueiro, onde o mesmo esteja “congestionado”, ou seja, onde já se encontrem outros pescadores é prudente deixar um espaço razoável entre você e eles, quando digo “razoável”, quero dizer que este espaço deve ser o suficiente para que todos possam fazer arremessos num ângulo próximo de 40°graus, pelo menos. Desta forma, teremos uma quantidade de água razoável para nossos pinchos. 
Obviamente que isso não é uma regra, pois vai depender da área disponível para a pesca. 
 
JÁ DIZ O DITADO : QUEM CHEGA PRIMEIRO TOMA ÁGUA LIMPA
O que este ditado tem haver com as boas maneiras em uma pescaria? 
Com certeza, muitos de nós, na noite que antecede a pescaria, colocamos nosso relógio ou celular para despertar na manhã seguinte, logo cedo, assim que o dia amanhece ou até mesmo antes de clarear (dependendo da pescaria nem é necessário despertador, pois passaremos a noite acordado, imaginando os vários peixes que fisgaremos kkk). Pois bem, tudo isso para que? Justamente, para chegarmos cedo ao pesqueiro, escolhermos o melhor ponto de pesca e ficarmos de boa, tomando uma “gelada”, aguardando as fisgadas da peixarada (chegou até de rimar a frase kkk). Mas, eis que do nada, se aproxima um vivente, devidamente “municiado” com sua tralha de pesca (normalmente ele é maior do que nós), alegando que onde você está é o melhor ponto de pesca, sendo este o lugar que ele sempre pesca e solicita “gentilmente” que você se retire (juro, isso já aconteceu comigo). Isso acontecerá se ele for “educado”, pois é possível que este vivente queira ir dominando o território que você conquistou por chegar antes, pedindo licença para ficar ao seu lado e, aos poucos, e de maneira nem um pouco sutil, começará a fazer os arremessos muito próximos do local onde você está arremessando e a partir disso a situação só piorará. 
Esta é a maneira que ele tem de enviar a seguinte mensagem: - Cara, saia daqui, se não vou estragar sua pescaria e seu dia. 
Se você pensa assim, como o personagem do exemplo, sinto muito, mas, a menos que o território que esteja reivindicando como seu, por ser o melhor ponto no pesqueiro, esteja com a placa de reservado em seu nome, nada mais justo do que respeitar quem chegou antes e deixa-lo em paz, buscando outro ponto. 
SEJA SILENCIOSO
Nestes casos, devemos levar em consideração e respeitar não somente o espaço destinado para o arremesso do pescador que está ao nosso lado, mas também é prudente considerar que dependendo do peixe, depois de fisgado, irá tentar se livrar do anzol de forma voraz, nadando para várias direções, isso pode ocasionar uma grande confusão se por ventura nossa linha enroscar-se com a do nosso vizinho. Se isso acontecer à possibilidade de perdermos nosso peixe aumentará, pois a linha poderá se partir, dentre outras possibilidades, além de atrapalharmos o sossego de quem está ao nosso lado, sem contar o emaranhado de linha que iremos criar, onde, muitas vezes, somente uma tesoura irá resolver, pois será necessário cortar ambas as linhas. 
Nada pior do que você pescar ao lado do homem de lata. Isso mesmo! O cara faz tanto barulho que mais parece estar vestindo uma armadura de metal. 
Dependendo do local e da espécie de peixe a ser pescado o barulho não influenciará, mas na maioria dos casos isso acontecerá e se não afugentar os peixes o barulho VAI ACABAR DE VEZ COM A NOSSA PACIÊNCIA, principalmente se estivermos num mal dia e pesca. 
Então, não sejamos homens de lata, tomemos cuidado durante nosso deslocamento para não fazermos muito barulho e também para não chegarmos de forma muito brusca na margem, pois até mesmo nossa sombra poderá assustar os peixes que ali estão. E quando for mudar de um ponto de pesca para outro, se possível, o faça a certa distância da margem, assim não irá atrapalhar a pescaria de outros pescadores. 
Outra questão é quanto aos acessórios que carregamos em nossas tralhas de pesca, principalmente se possuímos muitas chumbadas dentro de um estojo, caso elas não estejam devidamente acomodadas, para cada passo que dermos, dará a impressão que temos uma fanfarra batucando atrás de nós. Isso pode não afugentar os peixes, mas com toda a certeza vai tirar os pescadores que estão a sua volta do sério. 
NÃO DEIXE SUJEIRA
Antes de deixarmos o ponto de pesca façamos um pente fino com o intuito de limpar o local. Não vamos deixar emaranhados de linha, nem tão pouco, embalagens jogadas, seja de equipamentos de pesca que utilizamos ou de algum alimento que tenhamos consumido. Não só o pescador que assumirá seu ponto de pesca agradecerá, mas, principalmente, a natureza.
São regras simples de boa educação que, inclusive, algumas delas, podem ser aplicadas para aumentar a produtividade da sua pescaria.

Obviamente, não podemos esquecer que o esporte da pesca é um grande "criador" de amizades, não deixemos que nosso descaso pelo próximo prejudique esta estatística, afinal, um desconhecido, muitas vezes, é apenas um amigo pescador ao qual ainda não fomos apresentados.